SANTANDER FAZ EXPOSIÇÃO QUE INCITA ZOOFILIA ENTRE OUTROS CRIMES

14-e1504643839110-2A_proc

Aberta no dia 15 de agosto e prevista para acontecer até 8 de outubro, a “Queermuseu” contava com mais de 270 obras, oriundas de coleções públicas e privadas, que exploravam a diversidade de expressão de gênero. Porém, foi além disso. Foram obras de mau gosto e inclusive algumas fazendo apologia à pedofilia e zoofilia.

Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia,zoofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.

Depois de ser muito criticada, a exposição foi cancelada unilateralmente pelo Santander.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *